Sejam bem-vindos à cidade de Morioh, certamente o local mais extravagante que encontraremos na Temporada de Primavera de 2016 dos animes.

Mas que bela Duwang

Situado onze anos após os acontecimentos de “Stardust Crusaders”,  “Diamond Is Unbreakable” traz um novo capítulo da saga de JoJo’s Bizarre Adventure. Apresentando um anime remodelado esteticamente, principalmente devido à mudança no character design que seguiu com o estilo e modernização no traço de Hirohiko Araki ao avançar com as “partes” em seu mangá. Trocamos a grandiosidade da perseguição mundial a Dio Brando na terceira parte por uma simplória ambientação em uma pequena cidade japonesa chamada Morioh, na qual temos o nosso velho conhecido Jotaro Kujo chegando em suas imediações à procura de uma certa pessoa chamada Josuke Higashikata: um filho bastardo de Joseph Joestar e também nosso protagonista dessa nova saga.

Começando pela ambientação, Morioh é parte essencial do desenvolvimento da história de Diamond Is Unbreakable e por conta disso acaba tendo a necessidade de uma representação que a fizesse exalar um “ar de vida”, no sentido de que a cidade servisse como quase que um personagem para ilustrar a trama e também compor com a excentricidade do mistério. Se utilizando de cores bem vivas e definidas e com o complemento de uma trilha sonora moderna e vibrante, a cidade acabou sendo representada com um charme estrambótico, se diferenciando de todo o resto do anime de JoJo’s Bizarre Adventure e, assim, criando uma unidade que casa com o novo estilo de arte.

A cena inicial resume muito bem toda a ambientação e esse novo estilo visual e sonoro de JoJo’s Bizarre Adventure. Com a nossa primeira visão de Morioh em uma explosão de cores, com uma música envolvente que intercala com a rádio da cidade e que, ao mesmo tempo, interrompe nosso vislumbre com um chocante resquício de um mistério que veremos futuramente na série.

Complementando a estética temos uma direção competente e ciente de seus limites. A David Production nunca foi um estúdio que conta com um grande orçamento para produzir suas séries, mas em JoJo o estúdio compensa totalmente qualquer seguimento que não conta com um grande trecho de animação se utilizando de um estilo único de direção que combina com a série. Cortes bem criativos, quebras extremamente exageradas, inversão de cores, seguimentos com personagens estáticos na tela para ilustrar algum acontecimento, tudo cria uma dinâmica funcional que já é característica da série, mas que em Diamond Is Unbreakable foi retocada para reforçar a nova identidade.

Quanto aos personagens, já conhecemos Jotaro por causa da parte três, mas os poucos minutos dele em cena neste episódio já foram o suficiente para notar pequenos traços de personalidade que ele não tinha antes, o deixando minimamente mais interessante em comparação com o protagonista sem graça de Stardust Crusaders. Já Josuke Higashikata se mostrou um protagonista carismático: sua alternância de personalidade calma e respeitosa para delinquente rebelde quando falam mal de seu cabelo é o charme de seu personagem, que não mostrou muito além disso, mas foi o suficiente para criar um certo interesse por sua pessoa. Koichi Hirose foi o típico personagem orelha que apresenta JoJo’s Bizarre Adventure aos novatos que não conhecem a série, fora isso, não tem muito o que comentar sobre ele. Um ponto importante de se destacar sobre os personagens é a fantástica dublagem que faz um ótimo papel na representação dos personagens e suas personalidades. Daisuke Ono como sempre fazendo um excelente Jotaro, Yuuki Ono alternando bem o tom entre a mudança de humor de Josuke e Yuki Kaji passando uma voz de insegurança e fragilidade à Koichi.

Sobre a história em si tivemos algumas pistas do que virá a seguir. Sabemos que existem novos usuários de stand e que um deles é um criminoso que está em Morioh o qual Jotaro está à procura. A forma como a que este personagem é apresentado foi a parte mais estranha do episódio por ter sido mostrada através de um dialogo expositivo que se passa na cabeça do Jotaro enquanto ele observa a cidade, tudo muito jogado sem nenhuma naturalidade. Tirando este fato o restante dos acontecimentos seguiu com um ritmo decente que nos apresentou os personagens e já estabeleceu os primeiros passos dos rumos que a história irá tomar.

Em um geral, JoJo’s Bizarre Adventure: Diamond Is Unbreakable começou com um episódio bem sólido que traz todas as grandes e pequenas mudanças na saga de uma maneira natural e precisa, acertando no tom e agradando nos pontos chaves. Ainda é cedo para dizer se está quarta parte irá apagar o fantasma negativo que Stardust Crusaders deixou, mas com certeza acabou sendo uma revitalização e pudemos começar a respirar novos ares em JoJo’s Bizarre Adventure.